Anjos da Enfermagem levam alegria a pacientes durante arraiá



A animação tomou conta das crianças e adolescentes que realizam tratamento na Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) durante o arraiá promovido pelos 'Anjos da Enfermagem', ontem, 6. A atividade, que contemplou também familiares e amigos dos pacientes, ocorreu na Unidade Infantil da Associação de Apoio aos Portadores de Câncer de Mossoró e Região (AAPCMR).



Comidas típicas, brincadeiras e muita música fizeram parte da programação desenvolvida, pelos Anjos da Enfermagem. Eles são integrantes de um projeto nacional, executado em Mossoró por alunos de Enfermagem da Universidade Potiguar (UnP), que trabalham com a pesquisa e extensão por meio de atividades lúdicas. Vestidos de palhaços, mas classificados como anjos, os universitários coordenados pelo professor Arthur Torres, promovem o cuidado do corpo e da mente dos pacientes infantojuvenis.



O entusiasmo é tão contagiante que as crianças fazem questão de ficar perto dos acadêmicos. Exemplo disso é Milena Ribeiro, de sete anos. A mãe dela, Andréia Ribeiro, conta que a menina, que realizou tratamento contra a leucemia, já recebeu alta, mas a família continua participando das ações desenvolvidas na AAPCMR. A alegria fica completa com a participação dos Anjos da Enfermagem. “Ela ama os anjos e a gente ama também”, declarou Andréia.



E Milena confirma, resumindo como fica na presença dos acadêmicos: “Feliz”.



A professora Hemaúse Emanuele, responsável pelas atividades pedagógicas na LMECC, ressalta o efeito positivo do projeto na rotina hospitalar. “Os anjos eles trazem essa magia. Até o fato da pintura no rosto, que remete a um palhaço, já liga à alegria. Eles estão lá todas as segundas-feiras, a gente já espera e eu já deixo tudo reservado para esse momento de brincar, para esse momento de cantar, para esse momento de dança, de alegria. A criança ela adora o brincar e os anjos proporcionam muito a alegria”, comentou Hemaúse.



Estudantes relatam experiência com pacientes



O cuidado dedicado pelos universitários é retribuído pelos pacientes com muito carinho, o que faz com os futuros profissionais se sintam reconhecidos. “Para mim é gratificante demais. Dá para perceber o apego que as crianças também têm pela gente”, disse a acadêmica Thayene Kelly, ou Filó, como é mais conhecida entre os pacientes. Ela faz parte da primeira turma do projeto em Mossoró e conta que a chegada da equipe à pediatria é sempre comemorada. “Isso para a gente é muito bom”, diz Thayene, na certeza de que o projeto tornará os jovens profissionais mais humanizados.



Enquanto colocam em prática os ensinamentos da sala de aula, eles também aprendem. “A gente sempre aprende mais do que ensina”, complementa a estudante que permanecerá no projeto até outubro.



Como cada turma selecionada vivencia essa experiência por um ano, novos anjos estão iniciando a preparação.



Para Luana Daniele, a experiência começou ontem e a participação na primeira atividade já foi aprovada. “É ótimo, é gratificante. Com algo tão simples você consegue fazer tanto”, disse.



Música para embalar a alegria



A programação musical também foi fruto da solidariedade de quem visa levar alegria e esperança aos pacientes. As atrações do arraiá foram os músicos Darlan Dias e Giannini Alencar, que sempre atende os chamados para participar das ações voltadas aos pacientes infantojuvenis.

Previous
Next Post »