Obrigado pela Visita

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Prefeitura firma parceria para implantação de uma biblioteca na Cadeia Pública para a ressocialização de presos

A Prefeitura Municipal de Caraúbas, por meio da Secretaria de Educação, na manhã desta quinta-feira (20), firmou uma parceria com o Centro de Detenção Provisória "Manoel Alves Pessoa Neto” para implantação de uma biblioteca para a ressocialização dos presos.

A Cadeia Pública, agora dispõe de um sistema de ensino no qual uma sala foi transformada em biblioteca, com o intuito de proporcionar a ressocialização por meio da leitura e do estudo. Além dos livros, a prefeitura está disponibilizando um profissional para orientação dos presos no processo das leituras e produção de resenhas.

O Projeto tem por tema: “Na ressocialização do preso pela leitura”, onde o preso terá que frequentar a biblioteca, ler livros e escrever uma resenha e, após a correção deste texto crítico da obra, por um professor profissional da área, será enviado ao Ministério Público que vai emitir um parecer após uma decisão judicial do processo da execução, e só então será diminuída a pena.

O projeto será ainda validado de acordo com a lei, e será permitido realizar essa redução em apenas 1/3 da pena. Como na Cadeia Pública já existe alguns apenados que fazem a remissão através do trabalho, agora também será feito por meio da leitura e resenha feita de livros escolhidos para leitura. 

O Prefeito Juninho Alves em sua fala disse que a gestão está à disposição para apoiar todo e qualquer projeto que visa melhorar a vida dos caraubenses. “Precisamos estar engajados nos serviços e ações sociais, e esta biblioteca com certeza será um passo para ressocialização dessas pessoas tornando-as em cidadãos compromissados”, afirmou o prefeito.  

O trabalho de ressocialização foi idealizado pelo Juiz de Direito, Dr. Pedro Paulo Falcão Júnior, o Promotor de justiça Dr. Rafael Paes Pires Galvão, e o Diretor do Presídio local Sérgio Ildefonso.

A biblioteca da Cadeia Pública está sendo vista como modelo para outros presídios, onde os livros são todos catalogados e foi toda organizada por um apenado que separou as obras minuciosamente.

Segundo o Juiz, Dr. Pedro Paulo falcão, a esperança é resgatar seres humanos apenados em condição para reabilitação e muitos querem mudar de vida, basta somente uma oportunidade. “A biblioteca vai ajudar a muitos apenados a saírem da ociosidade, vão diminuir suas penas e ganharão credibilidade com o sistema e futuramente estarão livres para a sociedade. Sabemos que este trabalho não vai conseguir atingir 100% dos presos, pois eles também precisam querer mudar, a chance será através deste projeto, resta saber se todos querem uma nova chance, disse o juiz.

Para o Promotor Dr. Rafael Paes Pires Galvão, o objetivo do Poder Judiciário e do Ministério Público é tentar socializar para diminuir o índice de violência, devolvendo a sociedade um cidadão de bem, compromissado, zeloso pela sua vida em sociedade. 

O diretor do Presídio Sérgio Ildefonso explicou que o contato com o livro, será fundamental para socialização e mesmo que uma parte resista, o projeto terá um resultado positivo e que realmente sirva de modelo para outros presídios, “Essa é mais uma forma de trazê-los para o processo educativo e estimular a leitura”, ressaltou Sérgio Ildefonso.

Fonte - Assessoria de Comunicação
 




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário