Obrigado pela Visita

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

População rompe adutora em cidade com colapso de abastecimento no RN

Um grupo de trabalhadores rurais - durante um protesto iniciado na manhã desta quinta-feira (29) - rompeu parte da tubulação de uma adutora de engate rápido que passa às margens da BR-405, na entrada da cidade de São Francisco do Oeste, na região do Alto Oeste potiguar. O município é um dos oito municípios do estado em colapso no abastecimento de água e um dos 152 em estado de calamidade por causa da seca.

Segundo o inspetor Aliathar Gibson, da Polícia Rodoviária Federal, os agricultores questionam a falta de um canal da referida adutora para o abastecimento no município. “A tubulação passa pelo município, mas não abastece a cidade”, explicou o inspetor.

Além do rompimento da tubulação, os trabalhadores interditaram a pista. Pneus e galhos de árvores foram incendiados, bloqueando a passagem de veículos. Ainda de acordo com o inspetor, uma equipe da Caern chegou ao local na tentativa de reparar a tubulação afetada.

Segundo a Caern, atualmente a cidade de São Francisco do Oeste está em colapso pela baixa no Açude São Gonçalo. Somente um poço é usado para fornecer água, mas este não tem capacidade suficiente para atender sozinho toda a população. Por isto, o faturamento permanece suspenso desde novembro de 2013, quando a cidade iniciou um sistema de rodízio. A complementação de água é feita pela prefeitura da cidade, que contrata o serviço de carros-pipa para atender os moradores.

Situação crítica e prejuízos

Segundo o próprio governo do Rio Grande do Norte, o estado enfrenta a pior seca dos últimos 50 anos. Dos 167 municípios potiguares, 152 estão em situação de emergência por causa da estiagem prolongada. O decreto, o sétimo consecutivo desde abril de 2012, tem validade de 180 dias e foi publicado ainda no governo Rosalba Ciarlini, em setembro do ano passado. Confira AQUI a relação completa das cidades atingidas.
Na época, a Secretaria Estadual de Agricultura estimou um prejuízo de R$ 4,6 bilhões para a produção agropecuária, equivalente a uma redução de 56,9% na contribuição do setor rural para a formação do Produto Interno Bruto (PIB) do RN.

Fonte - G1/RN

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Erro de português virou caso de polícia na Paraíba

No cartaz estava escrito "Oferta imperdível. Chip Vivo. R$ 1 com aparelho". Ao ler, o professor Aurélio Damião, 38, considerou a proposta irrecusável. 

Com R$ 4 no bolso, ele entrou na loja localizada no centro de Guarabira, sertão da Paraíba, e pediu chips -- com os quatro aparelhos celulares correspondentes. Ele havia registrado a oferta com uma foto antes de ir ao trabalho e decidiu fazer a compra no final do expediente. 

"Passei na loja e pedi: me veja quatro aparelhos de R$ 1 da promoção", contou Damião.

O atendente da loja "explicou" o anúncio. Na verdade, disseram, o redator queria dizer que os chips da operadora em questão sairiam por R$ 1 no caso da compra de qualquer celular adquirido pelo preço normal de tabela.

Erro de português virou caso de polícia
A confusão começou. O professor acionou a polícia, que levou todo mundo para o 4º DP (Distrito Policial). Isso aconteceu no dia 22 de janeiro.

"Eles [os funcionários da loja] tentaram me humilhar, ameaçar, iludir, mas não arredei o pé e esperei a presença da PM", conta o professor. "A polícia orientou que deveríamos ir à delegacia já que a loja se negava a cumprir o anunciado", contou Damião, destacando que sempre observa erros gramaticais em anúncios.

Na delegacia, as partes chegaram a um acordo. Damião recebeu a doação de um vale de R$ 100 para aquisição de um aparelho. Com chip. "Caso não chegassem a um acordo, teria de se usar a Justiça e as partes resolveram se entender logo", disse um agente do 4º DP.

Queria dar uma lição
Damião voltou à loja e escolheu um aparelho com dois chips mais câmera. A nota fiscal veio no valor de R$ 98,70. O caixa da loja tentou devolver o troco de R$ 1,30, relata o cliente. "Deixei de caixinha", conta.

"Fiz isso para que eles aprendam a escrever de forma correta e nos respeitem como consumidor", afirmou o professor que leciona história, filosofia e sociologia.

Fonte - UOL.com

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Governador Robinson Faria anuncia pagamento de janeiro em dia

O governador Robinson Faria vai pagar em dia o salário dos servidores do Estado. O calendário de pagamento de janeiro já está fechado e ocorrerá nos seguintes dias: 29 de janeiro, serão pagos os salários dos aposentados e pensionistas. E, no dia 30 de janeiro, receberão os servidores da ativa da administração direta e indireta. "Sempre tenho reiterado que o Governo não medirá esforços para cumprir o calendário de pagamento e que não estamos aqui para punir os servidores do Estado. O desequilíbrio fiscal existe, mas desde que assumimos, temos trabalhado incansavelmente para cumprir com o mínimo devido aos servidores do Estado", disse o governador, Robinson Faria.

De acordo com o secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Gustavo Nogueira, ainda não há condições de se estabelecer um calendário para os próximos meses, devido o desequilíbrio fiscal em que foram encontrados os cofres públicos. Segundo informações da Seplan, o valor total que será pago aos servidores estaduais é de R$ 283.764.758,87, distribuídos entre 62.596 servidores ativos; 33.447 aposentados e 10.482 pensionistas.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

FESTA DE JANEIRO

Rever a família, os amigos, os velhos cenários, caminhar pelas ruas que parecem reconhecer nossos passos, observar as transformações é algo indescritível para quem retorna a “sua” cidade. 

Tudo é especial, o olhar curioso dos que não lhe conhecem, o sorriso aberto dos que lhe reconhecem, o abraço no meio da rua embaixo de um sol escaldante, a conversa que flui naturalmente como se nunca tivesse sido interrompida, tudo tem um sabor de “este é o meu lugar” e, mesmo sabendo que provavelmente não voltaremos mais a viver ali, aquilo faz parte da gente, da nossa história.

Não há nada melhor do que mergulhar nessa sensação de conforto que é perceber que você, independente de onde esteja, é parte da história de um povo, e, seja qual for a sua idade, sempre será recebida como uma criança que sai para brincar, mas sempre volta para casa para reencontrar os seus.

É assim que me sinto quando volto à Caraúbas. E tudo é mais intenso quando a visita acontece durante os festejos do Santo Padroeiro. Este ano, apesar de toda alegria dos reencontros senti um pequeno desconforto. Revi muitos amigos, ganhei muitos abraços, mas senti falta de muita gente, tantas que é impossível nominar. E não me refiro apenas aos amigos que não tive a oportunidade de abraçar, mas a população em geral.

Onde estavam os meus conterrâneos que não estavam na igreja, nas praças, nos eventos? Para onde foram os caraubenses que não participaram da salva? Das novenas? Das missas? Das festas? Das quermesses? Dos leilões? O que afastou meus irmãos destes lugares? Aquele som altíssimo dos paredões? As músicas tocadas por eles? 

Mas, quem saiu pode encantar-se com a magia da sanfona do mestre Caçula Benevides durante o Barraco do Tadeu, emocionar-se com as sempre brilhantes apresentações da Banda de Música Maestro Joaquim Amâncio, divertir-se com os bingos, os leilões, etc. 

Fiquei poucos dias na terrinha, mas o suficiente para perceber, com certa tristeza, que a festa, apesar dos esforços dos organizadores, estava “esvaziada”. Estive duas vezes na praça onde aconteceram os shows e não me senti “convidada” a permanecer. Faltava alguma coisa, que podia ser em mim, mas a energia que emanava, de mim ou do lugar, não continha a sensação de pertencimento que sempre sinto em todos os lugares de minha terra. 

Voltei com a estranha sensação que a “festa” não aconteceu por inteiro. Não saberia enumerar os motivos, mas aquela alegria que regava a semente do desejo de voltar no ano seguinte desta vez não transbordou... mas, há sempre um mas, em 2016, estarei lá mais uma vez, nem que seja apenas para ver a banda tocar...

Pessoas que tive a imensa alegria de reencontrar e abraçar Ivna Benevides Marcos Roberto Fernandes Gurgel Conceição Fernandes Virginia Fernandes Veluzia Gurgel Reijania Praxedes Aquino Rêílcia Praxedes de Aquino Vania Solano Vilma Solano Brito Assis Brito Brito Assis Blênio Francileno Gois Jandira Câmara